Ocupa Cacilda!

E lá se foi Agosto

Chegamos ao final de Agosto e ao final de mais uma semana de Ocupa Cacilda! Nessa semana tivemos alguns diferenciais na programação, nossa primeira Conversa e Ensaio Aberto do Se Me Dessem Um Teatro.

Nessas primeiras quatro semanas de Ocupação trouxemos a dança social em diferentes momentos da programação. Todos os filmes do Cardápio Cacilda tiveram como foco a dança que é criada fora da academia. Mostramos o maxixe, o samba e o funk em uma programação plural organizada através da extensa pesquisa de Ricco Garcia.

A programação dos espetáculos mostrou peças contemporâneas que utilizam a dança social como ponto de partida. Tivemos funk, hip hop, e demais danças urbanas que nasceram em diferentes países mas sempre com uma pegada brasileira traduzida nos movimentos pelos coreógrafos e bailarinos. Dentre os quatro espetáculos do mês de Agosto, contamos com uma estreia nacional, uma jovem companhia, uma companhia reconhecida internacionalmente e um espetáculo criado a partir do programa Entrando na Dança da Associação Cultural Panorama. Duas companhias pertenciam ao programa Novíssimos, onde convidamos coreógrafos que estão com companhias recentes e ainda não possuem muito tempo no mercado da dança para mostrar seus trabalhos.

Em todas as apresentações percebemos a doação do público e um desejo de saber mais. Não apenas a origem dos movimentos e coreografias, mas saber como aqueles bailarinos escolheram a dança como profissão, como objetivo de vida. Foi nítido, principalmente nas conversas após os espetáculos, que a dança não é apenas a profissão escolhida por esses jovens, é sua vida e se reflete em suas amizades, escolhas e sacrifícios diários. A troca entre plateia e companhias foi riquíssima nessas primeiras semanas e esperamos que a mesma perdure ao longo de nossa ocupação.

Se Me Dessem um Teatro foi uma outra maneira que encontramos de ajudar jovens coreógrafos em suas criações. Essa atividade permite que dois jovens performers, Diego Carvalho e Mickael Veloso, utilizem as tardes para ensaiar com suas companhias. Ao final do Ocupa Cacilda! eles irão apresentar o resultado de trabalhos de dez semanas. No domingo, dia 30 de agosto, vimos o embrião do que será mostrado em outubro no primeiro Ensaio Aberto ao público.

Junto com o fazer prático, trouxemos a discussão em torno de temas ligados a dança e no mês de Agosto conversamos sobre a Educação e a Dança. Na última quinta-feira do mês convidamos as professoras Lídia Costa (UFRJ) e Núbia Barbosa (Faculdade Angel Vianna) para debater os principais assuntos ligados a educação de dança. Conversamos sobre o espaço da dança na Universidade, a dificuldade dos estágios na área, a falta de reconhecimento da dança nos currículos das escolas de ensino fundamental e médio; enfim muitos assuntos que se desdobraram e foram discutidos com o público presente.

Por fim cito aqui as apresentações do Cacilda Palco Aberto! do final de Agosto. Iniciamos o Palco Aberto com uma intervenção na rua. Humain à L’eau foi criado por Georgia Tonus para tirar o passante de seu lugar de conforto, fazê-lo questionar a rota que estava seguindo ao se deparar com alguém que o interrompe, que o tira da rotina. Em seguida fomos guiados para o teatro para assistir a performance de Leonardo Carvajal, Pintando as Forças. Utilizando as cores primárias assim como o preto e o branco, o performer tenta traduzir visualmente forças elementares (gravidade, velocidade, temperatura, equilíbrio e inércia). Misturando cores em seu corpo, perdendo suas características humanas através da tinta e do movimento, Leonardo mostra como as forças agem juntas e não separadas, se misturam, assim como as cores, e se perdem, não conseguimos perceber uma força/cor separada das outras. Seguimos a noite com Encontro dos Afetos de Suzana Rosa. Através de uma coreografia singela, Suzana nos mostra como um encontro entre indivíduos pode levar a inúmeros caminhos; terminando em amizades, namoros, sexo, conflitos dentre infinitas possibilidades. Fechamos a noite com o vídeo performance DVLCE LABORIS PROEMIVM da Companhia Portátil Produções. O vídeo nos leva ao que parece ser uma fábrica abandonada onde o trabalho e a poesia se misturam. Vemos dois corpos sofrendo ações muito diferentes, enquanto um parece ser oprimido pelas correntes da fábrica; o outro voa em sua lira, realizando acrobacias ao longo do vídeo. Fechamos nosso Palco Aberto do mês com uma programação diversificada assim como na primeira edição que marcou o início de nossa Ocupação.

É cada vez mais nítida a importância do Palco Aberto para o Ocupa Cacilda! Fornecer um espaço para as artes do corpo em uma cidade que só possui um teatro exclusivamente dedicado a dança é fundamental para fortalecer as redes e contatos entre coreógrafos, bailarinos, performers e demais criadores iniciantes e iniciados.

E assim terminou nosso primeiro mês. Um mês repleto de surpresas, com apresentações especiais e com um gostinho de que as próximas semanas serão ainda mais especiais. Se você ainda não veio ao Cacilda, aproveite enquanto estamos aqui e….

VEM OCUPAR O CACILDA COM A GENTE!