Ocupa Cacilda!

 


SE ME DESSEM UM TEATRO  | Quarta a Domingo

Ensaios abertos: 30 de agosto e 13 de setembro
Horários: Às 17h, Diego Carvalho e às 19h, Mickael Veloso
Entrada: Gratuito

Os resultados da residência serão apresentados nos dias 09, 10 e 11 de outubro, horário à confirmar.

Do que um jovem artista precisa? De uma boa ideia? De espaço? De colaboradores interessados?

Um jovem artista encontra dificuldades em desenvolver e mostrar seu trabalho pois não existem espaços disponíveis para a criação de um iniciante e mesmo para a apresentação com o suporte técnico necessário. Tentando suprir essa necessidade e tornar visível diferentes formas de ajudar o jovem profissional, o Ocupa Cacilda! implementa o programa Se me dessem um teatro.

O programa convida dois jovens performers para utilizarem o teatro durante nove semanas de ocupação para desenvolverem seus projetos. Os artistas terão acesso a uma equipe e equipamento técnico além de uma troca com curadores e pensadores das artes ao longo do período de criação. Ao final da ocupação será apresentado o resultado do projeto.

O público é convidado a observar o processo de criação ao longo da ocupação assim como o resultado final. Assim a troca se torna fluída e contínua.

Se me dessem um teatro fomenta a nova criação e a participação e entendimento do processo criativo.

PERFOMERS

Foto: Robson Mata

MICKAEL VELOSO | GRUPO IMÃ

Mickael Veloso, coreógrafo e bailarino, formado em licenciatura em dança pelo Centro Universitário da Cidade. Foi intérprete criador na Laso Companhia de dança e na UTD. Desenvolveu alguns trabalhos coreográficos, como, “Eu preciso dizer que te amo”, “Ela” e “Pra te lembrar”. Atualmente, desenvolve pesquisas em dança e performance com o Grupo Imã, criado e dirigido pelo mesmo desde o início de 2014.

 Criado em 2014 por Mickael Veloso, o Grupo Imã surge através da vontade de produzir e compartilhar dança. Com a ideia de desenvolver projetos que tenham como material de pesquisa: a fotografia, o cinema, a performance e o teatro, o grupo se propõe a criar uma dança híbrida, livre de rótulos. Contando com alguns colaboradores, o Imã desenvolveu alguns trabalhos desde então, apresentando seus resultados em espaços privados e públicos, tais como universidades, teatros e ruas. Atualmente, o Grupo Imã conta com sete intérpretes e desenvolve seu mais novo trabalho, com estreia prevista para o segundo semestre de 2015.

 

 

Foto: Divulgação

DIEGO CARVALHO | Cia CaZul

Diego Carvalho tem se dedicado à pesquisa das danças urbanas, estudado Breaking, Locking, Popping, Vogue, etc , entre danças clássicas e populares, também trabalhou no circo Marcos Frota, onde fiz contorção e tecido, entre outras modalidades circenses. Participou da cia de contemporâneo Vivà do coreógrafo Carlos Fontinele e do grupo de danças urbanas Femme Beats. Além disso, atua como professor na escola de dança Anna Moura e Marcia Marinho (Barra da Tijuca), onde dá aula de Street jazz, Stiletto e Pole dance. Atualmente desenvolve uma pesquisa contemporânea sobre o Vogue associada a dança Indiana e ao Ballet, com a cia CaZul na qual é diretor e coreografo.

 CaZul é um grupo de arte voltado à dança vogue. Em suas concepções coreográficas, utiliza de diversas outras danças, linguagens e estudos para montar e mostrar seus trabalhos e pesquisas. Atualmente está desenvolvendo um trabalho sobre sua própria base (o vogue), utilizando-se de diversas outras áreas, colocando de maneira expressiva, bem definida para o público em forma de um lindo espetáculo de dança.

Foto: (C) Kersten A. Riechers